13.12.14

acendeu a fogueira a custo, os pequenos ramos que conseguiu apanhar estavam molhados e as mãos tremiam-lhe de frio. Salomão, ali perto, fuçava os silvados em busca de amoras maduras. andava presa no labirinto de Borges há quase dois anos, não se lembrava ao certo, porque amor como aquele não guarda hora de começo nem fim, transcende o calendário romano. nos últimos tempos, juntamente com o passo arrastado de Salomão, sentia que o labirinto se estreitava a jeito, para que lhe fosse mais difícil decifrar os caminhos. Borges fugia-lhe, ainda que às vezes lhe soprasse os mesmos beijos de outrora.