23.1.15

em segundos, o coração contorce-se no aperto desmedido da maldita mão alheia. nós, que já quase ousávamos acreditar, recolhemos, feridos, à tristeza que nos acolhe, cama fria onde fingimos morrer.