27.9.15

Milu, a aranha branca que me acompanha há já várias semanas, dorme no canto do costume, perto do friso. ou talvez não durma, talvez fique apenas quietinha, à espera que eu apague a luz. não me incomoda e eu finjo que não a vejo, é o trato mental que mantemos. às vezes a Milu recorda-me a Maman, de Bourgeois. sorrio. L'araignée est une ode à ma mère. Elle était ma meilleure amie.