24.11.15

tocando violino, um anjo/vela/recordação que nunca ardeu e faz companhia às negras esguias da Guiné, um candelabro de nove braços, onde velas vermelhas ardem em contraste com o corpo alto prateado, e agora uma poinsétia, replantada e virada a sul, como vem no almanaque. 
eis o natal. 
[mais do que isto, é tortura]