20.12.15

tens tiques de obsessiva-compulsiva, disse-me há uns anos o Tiago, um amigo que tem tanto de génio, como de tresloucado-depravado. toda a manhã tenho observado o laranjal, lavrado atabalhoadamente, sem qualquer figura geométrica que o defina. onde antes existia um quadrado perfeito, há agora um caos de erva e rasgos. ora o quadrado, e as palavras não são minhas, mas de Dolors Collellmir Morales, "é o símbolo da terra, mostra firmeza e fundamento, portanto, simboliza estabilidade", e eu vivi o ano inteiro de olhos postos naquela estabilidade carregada de citrinos, tal e qual um laranjal do éden. 
estou aqui vai-não-vai para calçar as botas de borracha e pôr-me a caminho, para ir pedir ao homem que monte novamente o velho tractor vermelho e desenhe no chão a forma que nunca lhe deveria ter apagado. há pouco, de nariz colado na janela e ganas pela alteração da minha paisagem, lembrei do diagnóstico do Tiago. terei?