20.1.16

diz-me que está no desemprego, que a velha morreu. reconheço-lhe na descrição do evento a ironia do costume, sob a qual esconde a fragilidade que mulheres como ela não podem mostrar. por defeito, por medo também, tem tendência para atacar a felicidade. já quis ser assim, mas definiu a natureza que a minha sensibilidade fosse doença e a bruteza, em mim, parecesse cinismo.

não sei o que faria ela, perante o desconsolo que ao fim da tarde me tomou. eu sei que me recolherei à toca, quieta e calada, esperando que ao menos a terra me aceite.