30.1.16

há, nestas últimas madrugadas, pássaros que chilreiam a primavera que há-de vir. uma orquestra belíssima que se compõe. o frio seca-me os lábios, enquanto avanço na noite, a esvaecer-se por entre os primeiros bocejos da manhã - aperto o casaco e componho a gola de lã, Taeko e Yukiko seguem-me, felizes. não me nasceu ainda a força para avançar no dia, apenas o núcleo que clama atenção vagueia comigo.