5.2.16

de Barcelona, recebo a ternura maior da minha mãe, tão feliz, num telefonema que me acaba com o saldo do telemóvel. somos alheias ao tempo, quando rimos juntas. nada nos distancia, continua a ser a minha melhor amiga, dona da voz mais doce e da gargalhada mais franca.
a sua mãe é um tesouro, diz-me, embevecido. eu sei, e os olhos marejam-se-me, o maior  tesouro que a vida me deu.