15.3.16

Damas, meu poeta transcendente, fulminante, garanhão potente da perna alçada, ou tão só e tão somente, o meu triste menino: espero por ti, na porta da entrada.