8.3.16

Grita-me o tosco Damas, o belo Damas, o Damas do liceu, Nem que as estrelas se fodam, Alice!, quando repliquei que sim, que era poeta, um poeta ultracontemporâneo. Até do indecoroso, o Damas faz poesia. Se mandasse nos sentimentos, amaria o Damas e viveria com ele num pequeno sótão da Paris antiga. Os dois, estupidamente poéticos e tuberculosos, escrevendo poemas com bolor. E quando do amor se levantasse o fastio e a faca escorregasse da mão, eu cairia ao rio, como l'iconnue de la Seine, num fim de tarde de domingo, e ele regressaria a Monfortinho, para tratar dos olivais.