30.3.16

tinha prometido a mim mesma que depois de nadar até à porta de casa, me afogaria com dois litros de água vermelha e velaria o meu corpo na banheira de hidromassagens. uma morte líquida numa noite chuvosa de quarta-feira - poético/patético/perfeito. mas agora, que o gosto do sal me tempera a boca, talvez já de uma morte anunciada, fico prostrada, no chão frio da casa de banho, sem saber o que fazer.