12.4.16

é incrível como as banalidades do quotidiano nos moldam o feitio. quem, a sério, quem é que pode manter a calma e ter paciência para tantos idiotas no cruzamento do costume, com os pés gelados - duas pedras de gelo - o dia inteiro? 

um dia destes desgraço a minha vida e o leitor vai perceber que eu não sou mesmo flor que se cheire, numa dessas peças televisivas de valor, tipo Cops...