29.5.16

E a vida é assim, coisa bela dos livros, palpitações obscuras, tão puras, procurando sentidos, na vertigem de mundos paralelos.