25.5.16

Vendredi telefona-me do gabinete, para saber se venho na sexta-feira. ela, já se sabe, por lá estará, a postos, para arrumar, de vez! - afirma, peremptória, o ambiente de trabalho e pôr a papelada toda em dia. dos emails, tratará em casa, amanhã, que não os pode deixar acumular, ou perde o fio à meada. e vida própria, Vendredi, p'ra quando?, brinco eu. ri-se, tristinha, um riso meio apagado, antes de responder, sabe... a vida de uma pessoa não é o que lhe acontece, mas aquilo de que se recorda e a maneira como o recorda.... ...ando a ler García Marquez, deixa-se dizer. 
digo-lhe que sim, que também concordo, e debitamos mais uma ou duas frases, as dos votos habituais, até que a chamada se desliga. as palavras ainda me ecoam na cabeça. será, Vendredi? ouço-me perguntar, no vazio da sala. lembro-me então que me esqueci de lhe dizer, sexta-feira, Vendredi, também eu cá estarei!
se tudo correr bem e as palavras de Vendredi forem oráculo, recordando, feliz, o dia anterior.