1.6.16

enquanto espero que elas regressem, para me afundar na banheira, sento-me aqui e relato um pouco mais deste quotidiano banal. o número escasso de leituras ao espaço é sabiamente revelador. infelizmente, não há nada que eu possa fazer. a linha editorial é definida e teimosamente mantida por uma das minhas personalidades mais fortes, a aborrecida.
dizia eu que espero por Taeko & Yukiko, as rottweilers rafeirus supremus, descendentes da linhagem directa do grande thor. não aguentei a luz clara da manhã na retina e ansiava pela caneca de café com leite - acordei intragável, azeda, hostil. dei-lhes um tschüss, elas responderam o habitual auf auf wiedersehen, e regressei a casa. tenho a sola da bota esquerda descolada, irrita-me o barulho boca de pato, mas ainda não decidi se as deito fora ou se a mando arranjar. mais ou menos como as coisas da minha vida.