17.6.16

Vendredi é mulher que esconde a alma e a cona no mesmo lugar. postiça, sem gosto, sem sal, discreta por inerência, só desperta tesão aos aleijados da vida. há o trolha punheteiro, acimentando o chão do acesso, que, de cada vez que ela passa, grunhe que lhe esfodaçava as bordas todas; o segurança que faz as noites de sexta-feira, negro como um tição, de carnes a bandear; e o sr. engenheiro, de precoce ejaculação, que a cumprimenta sempre com um beijinho, queixando-se da humidade da mão.