24.7.16

Carlota, a osga que repousava no tablier do carro velho, apareceu-me ontem de surpresa. confesso que nem a reconheci, de tão preta que estava. preocupada, questionei-lhe a doença, mal-estar ou condição, mas Carlota, muda, de nada se queixou. réptil envergonhado, bem diferente das primas que mais tarde avistei no canteiro, perto da esplanada do museu, - pequenas lagartixas multicoloridas, alegres e destemidas, de rabo ao sol -, Carlota não se atreve, sabendo-se osga-comum.