2.7.16

e o que eu gosto de lisboa ao sábado à tarde, quando os semi-nativos a abandonam, entregue à poeira das obras e ao linguajar estrangeiro.