17.9.16

fecho os olhos e entrego-te o meu corpo, líquido, ouro negro, antigo, um grito rouco no centro da clareira, ventre prenhe dos sonhos de menina.