20.9.16

quando há pouco saí do carro, os sapatos tão bonitos e tão altos, o fato azul marinho, percebi que da multa já não me safava. viesse eu com as botas da terra e as calças gastas, com que esta manhã corri atrás de dois jovens javalis - verdade -, e talvez o sr. agente encolhesse os ombros e me mandasse à minha vida.

 a quem trabalha, não basta ser, é melhor não parecer.