7.9.16

queria uma capa de invisibilidade, que me poupasse dos olhares consternados à minha passagem, torcendo o nariz à minha fraca e magra figura. eu própria, confesso - mas só a si, que me lê e não me vê -, virei costas aos espelhos de corpo inteiro. é que, até para ter pena de mim como deve ser, me falta o tempo.