22.10.16

As coisas delicadas tratam-se com cuidado

 Desossaste-me
 cuidadosamente
 inscrevendo-me
 no teu universo
 como uma ferida
 uma prótese perfeita
 conduziste todas as minhas veias
 para que desaguassem
 nas tuas
 sem remédio
 meio pulmão respira em ti
 e outro, que me lembre
 mal existe

 Hoje levantei-me cedo
 pintei de tacula e água fria
 o corpo acesso
 não bato a manteiga
 não ponho o cinto
 VOU
 para o sul saltar o cercado


daqui: modo de usar & co


/não sei porque deixei de ler escritores africanos, especialmente elas, que tanta falta me fazem e tão próximas me são./