5.10.16

correndo entre gentes e locais, vi-o. Raul, a minha paixão antiga, estava ali, no meio de alguns livros toscos, a menos de cinquenta passos. corri-lhe para os braços, aninhei-o no meu pequeno peito, não o voltei a largar.
a pedra ainda espera dar flor...


«Mesmo na desgraça colhemos uma flor se a encontramos no caminho, e nem agora nem nunca nos havemos de desinteressar das coisas simples e eternas que são o encanto máximo da existência. A sua ausencia total só no inferno se concebe.»
 
/pág. 189, Quetzal/