27.11.16

não fosse eu esquecer-me de que hoje é segunda-feira, logo pelas seis da manhã, a mãe deusa das regras fulminou-me a zona dos rins com vários arpões em aço inoxidável, enquanto me arrebanhava as tripas, apertando-as em remoinho. arrastei-me à casa de banho e ali mesmo, deitada no tapete vermelho, olhando fixamente o velho candeeiro redondo, forcei a cura. quinze minutos depois, levantei-me a sorrir.
ultrapassados vários ciclistas e papa-reformas a caminho sabe-se lá do quê, pé no acelerador na estrada larga, eis-me numa pastelaria com nome francês: pain au chocolat et café au lait, s'il vous plaît, merci. perto, uma turba oriental em volta da senhora das raspadinhas. contam o dinheiro com um sorriso que lhes desconhecia. possivelmente tão sincero quanto o meu, quando já me besuntava no pequeno brownie de chocolate com nozes pecã (senhores!!!).
caminho finalmente para o destino. à minha espera, um bigode, sorridente, que me lembrou dos que deixei em casa - se me despachar, penso, ainda consigo a tarde de domingo!