19.11.16

talvez noutra vida o acaso troque os papéis da cena e me calhe a mim ser o rato silvestre |são tão fofinhos|, Ramirez, o espanhol, fará de flor coração de margarina, a caridosa, e ao roedor caberá, finalmente, o papel de gato sádico e psicopata.

16 comentários:

  1. gostava de entender porquê que ninguém acha os polvos fofinhos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já viste o tamanho dessa cabeça?...

      Eliminar
    2. as baleias têm cabeças grandes e são fofas...

      Eliminar
    3. prometo que, se algum dia Ramirez, o espanhol (é tão fofinhoooo! :b), apanhar algum polvo, eu tentarei salvar o pobre cabeçudo :b :b

      (a Capitã é pirata, homem! uma estratega do crime e da mentira! não vás em conversas. :b)

      Eliminar
    4. "Dentro do peito dos desafinados também bate um coração"

      Eliminar
    5. ah, tom jobim, um dos meus amores de adolescência...

      Eliminar
  2. (E agora que me lembrei disto, vou ouvir a música - na versão Geoge, que é a minha preferida - enquanto leio o livro dos haikus do Bashô, que é tão mau que acaba por ser bom)

    ResponderEliminar
  3. Se a Palmier continuar a faltar aos domingos, vou ter de me mudar para aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. podias ter avisado. preparava-te uma bebida.

      a Palmy tinha prometido... :(

      Eliminar
    2. traz é o bote. chove a cântaros, Pirata!!

      Eliminar