10.1.17

Niflheim acordou melancolicamente primaveril. nos campos, o verde inteiro, pássaros de asas longas junto ao rio, gente caminhando. as nuvens, cinzentas como eu, passam velozes. vejo agora que algumas laranjas estão tombadas na terra lavrada, não há, como sempre, quem as apanhe.
com o tanque do submarino a mais de três quartos, ócio meu, este de me parar à janela, vendo o mundo da passar, tenho de ir. é urgente.