2.4.17

dona Miquelina, tome nota, leitor, assim se chama uma das minhas vizinhas, velhinha amorosa a quem só falta a espingarda ao ombro. pois dona Miquelina abomina essa moda que agora prolifera de cavalgar montes e serras em cima das bicicletas. que lhe estragam o mantimento todo!, vocifera, cuspindo chispas. a rapaziada da câmara bem tentou, até a guarda lhe bateu à porta, mas dona Miquelina, sadia de tino e rija de língua, pô-los todos a correr - outra raça excomungada que também apoquenta as terras de dona Miquelina. fechadas as fronteiras, nada mais resta aos moços dos calções de licra, que ainda por ali tentam a sua sorte, senão voltar para trás. alguns excomungam a velha, outros ficam parados alguns minutos a tentar perceber o muro erguido. eu, cá de cima, nem sei bem o que pensar. não lhe comiam o carreiro de terra batida, bem de certo que não, mas é vê-los pisar as leiras plantadas, como quem pisa capim, e logo me dá vontade, a mim também, de ir procurar a pressão d'ar.