25.5.17

sim, sou a procrastinadora-mor cá do burgo e qualquer assunto me serve para empurrar a manhã com a barriga. além disso, tenho um berbequim dois pisos acima, que me está a deixar perigosamente irritada. é um daqueles bichos que pensa que berbicando mais devagar não incomoda tanto...
pois então, palmilhando a blogosfera para limpar a cabeça das vibrações ruidosas, encontrei este post da maria das palavras e bateu-me a nostalgia dos antigamentes. lembrei-me da primeira vez, na faculdade, que um cromo me tentou corrigir a natureza do calçado. ah, bons tempos aqueles, quando eu exibia a minha verve bocagiana, em resposta aos alcoviteiros tacanhos da capital.
depois a palavra embrenhou-se, as sapatilhas ficaram para o fim de semana, mais tarde já só nas férias, até que um dia, sem me dar conta (ai que raiva, o cabrão do berbequim!!!), me esqueci delas num canto qualquer. passei a ser, como tantos de vós, e já Socrates o grafitou na estação de metro, uma cidadã do mundo. na terra, gozam-me o sotaque de alface, em Lisboa, às vezes, ainda me vem o assobio à boca. faço parte da migração.

7 comentários:

  1. "lavanda/alfazema","ténis/sapatilhas" - a bloga hoje acordou binominal.
    Eu é mais magnórios.

    Obrigado por me deixar assobiar no seu quintal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. desafio-o à pilheira. conhece?

      Eliminar
    2. Confesso que não, mas se me permitir deitar o caroços dos magnórios para o chão, aceito já.

      Eliminar
    3. desde que depois não me dê com o testo na cabeça :b
      quem diz testo, diz sertã, que também deve doer :)

      Eliminar
    4. A verdade é que há sempre um testo...

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.