2.8.17

recados para uma Pirata que vai ficar com Milu alguns dias em agosto.


• Milu não come mosquitos. Diz que fica enjoada. Ainda não percebi bem de onde vem isso, pensei que fosse do glúten, mas ela só come mosquitos sem glúten. Aliás, ela não come glúten. A nutricionista naturopata recomendou. Também não come ovos de melga. (nem bebe run, nem gin, nem aguardente, nem cachaça, nem whisky - apenas absinto e apenas para desmoer a digestão mais pesada.)

• Deixei um saco com comida para a Milu. Moscas sem glúten, libelinhas sem gordura, abelhas sem açúcar, larvas desidratada, nacos mirandeses na pedra e quinoa dos Andes (para ti).

• Não lhe dês bolos de pastelaria, a menos que sejam palmiers encobertos esfoliados. Nem sumos de pacote, que não tenham sido espremidos manualmente. Nem leite de vaca que não seja de origem controlada dos açores. Nem chocolates com menos de 80% de cacau, torrado em horário matinal. Nem leite com chocolate, que tem iva mais caro. (parece óbvio, mas tenho de ter em conta de que és Pirata)

• Se ela insistir muito para comer doces, dá-lhe uma peça de fruta biológica, pode estar podre. Ou deixa-a brincar com o teu órgão electrónico, piano ou lá o que é. Ou fazer tranças indianas na barba - desde que higienizada - do guedelhudo do teu cozinheiro. Ou um abraço.

• A Milu pode brincar com o iPad dela antes de ir para a cama (atenção ao acesso à pornografia! e aos vídeos sobre extraterrestres e aos sites de gastronomia chinesa). Mas não nos últimos 34 minutos antes de apagar a luz. É o que dizem os estudos mais recentes.

• Se ela ensaiar uma fita por causa disso, não a contraries. Não lhes tires o iPad das patas à força. Dialoga com ela. Convença-a. Quero que a Milu tenha capacidade de argumentação e não quero contrariá-la demasiado, para não ser castrada na construção da sua personalidade. No fim, dá-lhe um abraço. Ela precisa de três abraços por dia. Pelo menos. Por favor não te esqueças isso. E se puderes (sei que podes ou terás notícias do meu advogado), dá-lhe abraços de pele a tocar na pele. A energia positiva assim passa de forma mais eficaz, a peçonha também.



Paulo Farinha, daqui, visto por aí