24.4.19

La Carencia

Yo no sé de pájaros,
no conozco la historia del fuego.
Pero creo que mi soledad debería tener alas.

De Las Aventuras Perdidas (1958)

23.4.19

passou por nós no centro comercial, enquanto bebíamos café, de cabelos azuis e argola no nariz.
- observa, Alicinha, como tu e aquela rapariga são parecidas.
- como assim, Damas?! nada que ver...
- olha que sim. ambas se escondem do mundo, ela mudando a aparência de forma radical, tu não mudando merda nenhuma. há anos que tens esse corte de cabelo. um dia destes até tu te esqueces de ti.
anda azedo o Damas. doeu, mas não contrapus.

22.4.19


Flor























19.4.19

Flor, Que espinhos sois vós sem rosa?* 


*aldrabando Garrett
Ai, que não te entendo, flor!
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, miserere nobis.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, miserere nobis.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, dona nobis pacem.

sacrificar um animal em busca da remissão dos pecados é atroz, doentio. cruel.
quão cobarde pôde ser o humano que inventou um deus assim?

18.4.19

aproveitamos e pregamos dois pregos de uma martelada só (by PAN), poupamos nos fardos de palha e alcançamos o destino num piscar d'olhos: construímos uma pequena embarcação. agora é rezar para que chova muito, criando múltiplos caminhos, jejuar o suficiente, afinal somos um bando e temos todos de caber, e aprender a nadar, depressa.

17.4.19

Bartolomeu pediu-me que não contasse, que há percalços que só envergonham, servem apenas para a chacota, mas eu não resisto. afinal, rir de nós mesmos é sinal garantido de inteligência, certo? 
quando nos decidimos à pilhagem de combustível, já Jolly Jumper tinha a pança a 1/4. sabíamos dos riscos, que a rapidez era ponto fulcral. quis o destino que voltasse a ganhar a má-sorte que nos acompanha, nuvem peçonhenta, e rapidamente secámos as entranhas da máquina. tentámos os assaltos a pé, mas não é a mesma coisa, de bandidos passámos a pedintes violentos, a imagem não nos agradou. foi quando Cirilo tropeçou numa dessas trotinetes irritantes, espalhadas por Lisboa, e repetiu cinco ou seis vezes o mesmo palavrão, pontapeando mais ar do que metal, que percebemos o que nos aguardava. em fila indiana, encostados ao máximo da indecência, montámos a bicha e deslizamos eléctricos pela avenida.
inacreditável, vamos já na segunda vítima - não há logística para manter reféns - e gasóleo nem vê-lo, quanto mais chupar por ele pelo tubinho. gasolina, gaguejam, e nós insistimos, tens a certeza, bicho? olha que me cheira a diesel. é a gasolina, juro, podem ver. Tristan acena a confirmação, encontrada no telemóvel. tivesse ele mais destreza nas pesquisas úteis e talvez Cirilo já estivesse a encher o bidón
Furiosa, Imperatriz Furiosa, eis a minha alcunha para os dias que se avizinham. eu, a minha máquina de guerra e um punhado de rebeldes manhosos, partiremos pela savana da capital, armados e sem pudores na alma. todo o gasóleo que conseguirmos encontrar será nosso.

16.4.19

¡joder, ¡coño, ¡mierda, ¡carajo!!! como assim, Jolly Jumper não tem o que comer?!? não há fardos de palha em nenhum estábulo?!?
o meu reino por un cuadrúpedo que defeca mierda de verdad!

13.4.19

Flor


Dedico este poema aos foragidos,
Àqueles que saem à noite e não voltam,
Aos animais que ninguém pode domesticar,
Aos objectos que se partem
Sem que ninguém os toque.

José Pascoal