2.4.20

Vidas Escritas

William Faulkner


















"De acordo com a lenda pirosa da literatura, William Faulkner escreveu o seu romance As I Lay Dying em seis semanas e na mais precária situação, a saber: enquanto trabalhava numa mina, no turno da noite, com as folhas apoiadas no carrinho de mão virado e iluminado pela luz mortiça da lanterna do seu próprio capacete poeirento. 
É uma tentativa da lenda pirosa para fazer ingressar Faulkner na hoste dos escritores pobres e sacrificados e um poucochinho proletários. As seis semanas é o único dado que está certo: seis semanas de Verão em que aproveitou ao máximo os longuíssimos intervalos de que gozava entre cada pazada de carvão para a caldeira que tinha a seu cargo numa central eléctrica. 
Segundo Faulkner, ali ninguém o incomodava, o ruído continuo do enorme e velho dínamo era «apaziguador» e o lugar «morno e silencioso»." 

Javier Marías, Vidas Escritas


|já tinha falado dele aqui.|

|o próximo será Joseph Conrad|