3.9.20

para a Zeza

não fosse a Covid e não teríamos perdido o negócio, as instalações e as mordomias do carrinho de pastelaria fina da D. Fernanda. haja saúde, diz Bartolomeu, e ninguém passará fome! nós encolhemos os ombros, que pão com manteiga também é bom. mas não é por isso que aqui venho agora, é por causa da Zeza, sim, a Zeza. não fosse a Zeza, num comentário generoso e eu já nem me lembrava da flor, muito menos da faca, que agora descasca batatas e pouco mais. mas a Zeza apanhou me de surpresa, no calor tardio do verão, já setembro, com cheiro a uvas doces e figos pingo de mel, e tive que vir alinhavar uma mensagem de bem-haja. por isso repito, bem-haja, Zeza. 

Flor